Módulos relacionados a lajes

Nesta seção estão listados os módulos relacionados às lajes, que agregam ao Eberick novos tipos de lajes, como as lajes nervuradas, lajes treliçadas, lajes com painel de enchimento embutido, lajes do tipo painel maciço e lajes com vigotas protendidas.

Além disso, nesta seção também estão listados os módulos que permitem a plastificação das lajes, edição das barras das grelhas das lajes, utilização de regiões maciças em lajes com nervuras e a elaboração de projetos com lajes planas*.

* Disponível a partir da versão Eberick V10.

EDITOR DAS GRELHAS

Este novo módulo acrescenta ao AltoQi Eberick a possibilidade de edição das propriedades de rigidez e vinculações das barras e grelhas, permitindo que se faça ajustes no modelo de grelha.

O Eberick utiliza o modelo de analogia de grelhas para efetuar a análise dos pavimentos, modelo este bem difundido e validado no meio técnico. Em algumas ocasiões, devido à geometria da laje e à discretização da grelha utilizada, podem surgir valores elevados em uma das barras da grelha. Agora, com o uso do editor de grelha, é possível editar a rigidez das barras de forma que os esforços sejam redistribuídos, reduzindo, assim, esses picos em pontos localizados.

Com isso é possível buscar alternativas para o dimensionamento e detalhamento das lajes, escadas e rampas do projeto, gerando economia de armaduras e mais facilidade durante suas montagens em obra.

LAJES COM VIGOTAS PROTENDIDAS

No Eberick é possível cadastrar lajes com vigotas protendidas de acordo com os dados do fabricante. Para cada arranjo de vigotas e blocos é associada uma tabela com os dados de vão máximo e sobrecarga limite para que o programa verifique se os parâmetros atendem aos requisitos do projeto. O usuário pode cadastrar diferentes arranjos e fabricantes, conforme a disponibilidade dos fabricantes.
Caso a relação entre o vão e a sobrecarga não atenda à geometria e ao resultado de esforços da laje o programa indica erro de dimensionamento, alertando o usuário sobre determinada situação, conferindo mais segurança nas verificações do projeto.
As vigotas protendidas ainda são listadas nos relatórios, quantitativos de materiais e desenhadas na planta de forma, indicando a posição correta para montagem na obra.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V5.

LAJES NERVURADAS

O Eberick permite o lançamento, dimensionamento e detalhamento de lajes nervuradas com blocos de enchimento e cubetas plásticas, conferindo mais alternativas para as lajes do projeto.
A grelha das lajes é montada conforme o espaçamento entre as nervuras, gerando os resultados de esforços, deslocamentos e armaduras. As armaduras positivas, negativas e de regiões são detalhadas em planta, permitindo agrupar os detalhamentos nos eixos X e Y.
Nas lajes nervuradas podem ocorrer esforços cortantes mais significativos e, nesses casos, o programa gera uma armadura de cisalhamento (na forma de estribo) onde houver necessidade. Os estribos são indicados em planta, de acordo com o posicionamento das nervuras, gerando o detalhamento completo das armaduras da laje.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V7.

LAJES PLANAS

Possibilidade de projetar lajes planas, maciças ou nervuradas, apoiadas diretamente sobre os pilares ou, ainda, contendo capitéis na região dos pilares.
Além das verificações na flexão e cisalhamento, é feita uma verificação da laje na punção, a partir dos perímetros críticos, determinados segundo a geometria da laje, efetuando de forma completa todo o dimensionamento das lajes planas e lajes cogumelos.
Para as lajes planas, quando necessário serão incluídas armaduras de punção constituídas de studs metálicos, dispostas na região do entorno dos pilares. Estes conectores podem ser dispostos de forma perpendicular ou radial em relação ao pilar, conforme preferência do projetista, completando o detalhamento das lajes que estiverem apoiadas diretamente nos pilares. Além disso, o programa também dispõe de armadura de prevenção contra o colapso progressivo, conforme estabelecido na NBR 6118, item 19.5.4.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V5 Gold.

LAJES TRELIÇADAS 1D E 2D

Com o módulo Lajes Treliçadas 1D e 2D é possível dimensionar e detalhar diversos tipos de lajes:
-Lajes treliçadas uni e bidirecionais, que são compostas por vigotas treliçadas e blocos de enchimento em diversos formatos, materiais e agrupamentos. Nos casos das lajes unidirecionais ainda é possível definir uma nervura transversal de travamento;
-Lajes do tipo painéis maciços uni e bidirecionais, que são lajes maciças compostas por painéis treliçados justapostos; e
-Lajes do tipo painéis com blocos de enchimento uni e bidirecionais, que são compostas por painéis treliçados justapostos e blocos de enchimento.
O usuário pode ainda cadastrar novas treliças e blocos de enchimento, adequando o cadastro aos materiais fornecidos na sua região. As treliças são detalhadas em uma prancha de treliças e são indicadas e quantificadas nos relatórios.
Essas novas opções de lajes conferem ao usuário uma maior liberdade para definição do melhor tipo de laje para cada projeto.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V8.

PLASTIFICAÇÃO DAS LAJES

Os esforços das lajes também podem ser obtidos considerando uma redistribuição dos esforços no painel, gerando uma análise não-linear da grelha. No Eberick, pode-se definir a utilização do modelo através da plastificação dos apoios onde são incluídas rótulas plásticas na grelha. Nesse caso, é possível diminuir os momentos fletores negativos da continuidade ou minimizar “picos” de esforços em regiões de reentrância da laje, como os que ocorrem em “cantos vivos”, que, dentro de determinados limites de redistribuição, podem gerar economia de armadura mantendo a segurança da estrutura.

*Recursos disponíveis a partir do Eberick V8 Gold.

REGIÃO MACIÇA EM LAJES

O novo módulo regiões maciças em lajes acrescenta ao AltoQi Eberick a possibilidade de se definir regiões maciças em lajes com nervuras, ou seja, regiões de onde serão removidos os materiais inertes das lajes e preenchidas com concreto.

Existem diversas situações de projetos onde a utilização de regiões maciças em lajes torna-se uma solução interessante, como por exemplo:

  • Definir faixas maciças em continuidade de lajes nervuradas. Nesses casos a utilização de faixas maciças sobre a continuidade passa a ser uma solução bem interessante, pois se aumenta, assim, a região de compressão;
  • Utilizar regiões maciças com objetivo de evitar armaduras de cisalhamento nas nervuras, que necessita de maiores cuidados na concretagem;
  • Utilizar regiões maciças para inserir regiões mais rígidas na laje, com objetivo de auxiliar no controle as deformações excessivas; e
  • Utilizar faixas maciças para o engastamento de lajes maciças de beirais em projetos onde são utilizadas lajes internas com nervuras.